Você está visualizando atualmente Sistema De Janelas X

Sistema De Janelas X

  • Autor do post:
  • Categoria do post:Tecnologia

X foi projetado primariamente para implementar freguêses leves, onde muita gente usava simultaneamente a prática de processamento de um mesmo pc trabalhando em tempo compartilhado. Cada pessoa usava um terminal pela rede que tinha uma técnica limitada para desenhar a tela e aceitar a entrada do usuário.

Devido à onipresença do suporte pro software X em Unix, é mais usado em pcs pessoais, inclusive até quando não há necessidade do tempo compartilhado. O sistema de janelas X distribui o processamento de aplicações, especificando hiperlinks comprador-servidor. O servidor oferece serviços pra acessar a tela, teclado e mouse, durante o tempo que que os consumidores são as aplicações que utilizam esses recursos pra interação com o usuário. Portanto, enquanto o servidor é executado localmente, as aplicações podem ser executadas remotamente a partir de algumas máquinas, oportunizando, então, o conceito de transparência de rede. Por causa esse esquema comprador-servidor, pode-se narrar que X se comporta como um terminal gráfico virtual.

O episódio de que existe um modelo acordado pra X permite que se desenvolvam servidores X para diferentes sistemas operacionais e plataformas, o que faz com que o código seja muito portátil. Como por exemplo, você pode ter compradores X em efetivação em um potente servidor UNIX sempre que os resultados são visualizados em um Pc de mesa com qualquer outro sistema operacional funcionando.

A intercomunicação entre o consumidor X e o servidor é feita por meio de um protocolo denominado como Xprotocol, que consiste em uma série de bytes interpretados como comandos básicos para gerar janelas, posicioná-las, ou controlar eventos. Os freguêses X acessam o Xprotocol mediante o exercício de uma biblioteca chamada Xlib, que impede o programador de clientes X ter que suportar com o código binário do Xprotocol. Entretanto, os estilos de decoração de janelas e o exercício de janelas não estão instituídos pela biblioteca. X não é um gestor de janelas, você precisa de um para controlar o gerenciamento de janelas.

Isto traz a vantagem de que permite ao usuário instalar um ou mais gestores de janelas de sua preferência. 5.3 O MIT Consórcio X e o X Consortium, Inc. X utiliza o modelo freguês-servidor: um servidor X se comunica com abundantes programas consumidor. O servidor aceita os pedidos para a saída gráfica (windows) e retorna a entrada do usuário (por meio do teclado, do mouse ou a tela sensível ao toque).

  • o Que presentes se são capazes de comprar ao domiciliar da relação
  • Imagem do escudo de Comportamento
  • melhoria e reorganizam as barras de botões no Writer, Calc, Impress e Draw
  • Responder com um máximo de três tweets (com o formato adequado segundo o Twitter)
  • o Que? o que você vai fazer se ele não te inclui? -disse o loiro antes de explodir em gargalhadas
  • Tribunais de 1ª instância
  • Altura da cruz: ronda entre os 160 e 165 cm

Esta terminologia de consumidor-servidor – o terminal de usuário sendo o servidor e as aplicações sendo os compradores – várias vezes abalada pros novos usuários de X, em razão de os termos parecem invertidos. O protocolo de comunicações entre o servidor e o consumidor opera transparente pra rede: o consumidor e o servidor podem ser executados na mesma ou em diferentes máquinas, provavalmente com diferentes arquiteturas e sistemas operacionais.

Um consumidor e um servidor são capazes de até já se informar com segurança sobre a Internet fazendo uma conexão de túnel sobre isto uma sessão criptografada da rede. Um freguês X pode emular um servidor X fornecendo serviços de exposição a outros freguêses. Isso é conhecido como “X nesting” (aninhado X).

Os comentários de código aberto, por exemplo Xnest e Xephyr suportam o X assentamento. O consumidor X remoto fará dessa maneira uma conexão ao servidor X recinto do usuário, viabilizando a exibição do ecrã e a entrada. Alternativamente, a máquina lugar poderá exercer um menor programa que se conecte com a máquina remota e comece a aplicação cliente.

Não reunem nova funcionalidade, a menos que um implementador não atingir completar uma aplicação real sem ela. É tão sério decidir que não é o sistema, como resolver o que é. Não respondam às necessidades de todo o mundo; em vez disso, fazer o sistema extensível para que as necessidades adicionais possam cobrir em uma forma compatível ascendente. A única coisa pior do que generalizar a começar por um modelo é generalizar a partir de nenhum modelo em tudo.